Histórico

Fonte: A A A

História da Unidade Escolar CPMG MÍRIAM BENCHIMOL FERREIRA

.

O CPMG  Estadual “Miriam Benchimol Ferreira” (anteriormente denominado Escola Estadual do Jardim Lageado) foi construído em 1985, em sistema de mutirão, com recursos do tesouro estadual e em regime de urgência para atender à demanda de crianças de 1ª fase do Ensino Fundamental, assentadas junto a seus familiares no setor de mesmo nome (Jardim Lageado), oriundos da invasão do Jardim Botânico, desativada pela Prefeitura de Goiânia.

Naquela época, a única unidade escolar das proximidades era a Escola Municipal José Décio Filho com um número de salas de aula insuficientes para atender estes novos moradores. Várias reuniões foram realizadas utilizando o espaço físico da referida escola municipal e envolvendo os habitantes do novo setor e militantes professores do setor Santo Hilário, associação de moradores e outros, com a presença de autoridades, como: Dr. Adhemar Santilo (Secretário do Estado da Educação no governo do Dr. Henrique Santilo) e outros.

Identificadas as necessidades da construção da nova escola, alguns professores, tais como: Lourdes Messias da Costa, Alaides Gonçalves dos Santos, Áurea de Souza Maia Silva, Izabel Neves Duarte, Lilian Gonçalves dos Santos e Vanda Mª Queiroz Vinhol e outros fizeram o levantamento (pré-matrícula) para detectar exatamente o número de alunos que necessitavam de vagas. Esses dados foram remetidos às autoridades competentes que deram autorização para o inicio da construção de um pavilhão no final do ano de 1985, contendo: 05 (cinco) salas de aula com pequenos vitrôs, 04 (quatro) minúsculas repartições para funcionamento da secretaria, Gestor Escolar, cozinha e depósito para merenda escolar, bem como 04 (quatro) sanitários femininos e 04 (quatro) masculino para alunos, numa área livre de 7.019,23 m², sendo que a frente do referido pavilhão, virada para o poente, e rodeada por um estreito corredor, construção coberta com telhas de amianto fazia com que, em época de sol forte fosse insuportável! (essa realidade ainda é vivida atualmente) e em época de chuvas e ventos, se destelhava todo, apavorando alunos, professores e direção que temiam graves acidentes.

Na ocasião o advogado Dr Isaac Benchimol Ferreira , hoje já falecido e no cargo de promotor na área da saúde, era muito influente no meio político, tornou-se amigo do presidente da Associação de moradores do Santo Hilário , “Francisquinho”, como era chamado e conhecido. Devido a essa aproximação , intermediou a regularização dos lotes e respectivas escrituras  do Jardim Lageado, solicitou, de um amigo político,  um Projeto de Lei  para homenagear sua mãe, Miriam Benchimol Ferreira, dando  seu nome à recém criada escola.

Depois de inaugurada e constatada a falta de estrutura que, apesar dos esforços, ainda era evidente, foram feitas várias reivindicações, de maneira muitas vezes, insistentes do corpo diretivo da escola, comunidade escolar e local,  que culminou com  algumas melhorias  realizadas a partir do ano de 1997, a saber: construção de mais 04 (quatro) salas de aula, totalizando 09 (nove), uma sala de professores (construída pela comunidade escolar), uma Quadra Poliesportiva coberta e uma sala de informática, ampliação dos Banheiros Masculino e Feminino e reforma da Cozinha pelo poder publico estadual.

No decorrer destes 30 anos desde sua fundação, o CPMG, Miriam Benchimol Ferreira, teve os respectivos diretores:

  • 1ª diretora: Alaides Gonçalves dos Santos ( Um mandato)
  • 2º Diretora: Arlete Jatai Morais ( Um mandato)
  • 3º Diretora: Lourdes Messias da Costa(por vários mandatos)
  • 4º Diretora: Maria Barbosa de Costa ( Dois mandatos)
  • 5º Diretor: Francisco Antonio Leite Neto ( Dois mandatos)
  • 6º Diretor : Jane Alves de Almeida ( Dois mandatos)
  • 7º Diretor :Francisco Antonio Leite Neto( Dois Mandatos)
  • 8º Diretor: Luiz Augusto Moura ( um mandato incompleto)
  • 9ºDiretor:  Neidimar da Silva Camilo  ( atualmente no mandato)

 

  Em Março de 2015 o então Colégio Estadual Miriam Benchimol Ferreira, teve seu ultimo processo eleitoral para diretor ,  sendo eleito com maioria dos votos, o professor Luiz Augusto Moura, que permaneceu  no  cargo até 30 de Julho quando o Colégio MBF, pela LEI Nº 18.967, DE 22 DE JULHO DE 2015, sancionada pelo  governador Marconi Ferreira Perillo Junior, passa a  ser um Colégio da Polícia Militar do Estado de Goiás,  identificado também como “CPMG, está subordinado à Secretaria da Segurança Pública por meio da Polícia Militar do Estado de Goiás, através do Comando de Ensino Policial Militar, Unidade Gestora de Grande Comando onde se encontram inseridos os Colégios da Polícia Militar do Estado de Goiás, tendo como parceira a Secretaria Estadual de Educação – SEE, por meio do Termo de Cooperação Técnico pedagógico.